LETRA – S

GLOSSÁRIO DE CRÉDITO/FINANCEIRO

LETRA S

Sacado

Banco que paga o cheque.

Sacador

Entidade que emite o cheque.

Saldo contabilístico

É o valor correspondente ao resultado dos movimentos a crédito e a débito efectuados na conta de depósito à ordem.

Saldo disponível

É o valor na conta de depósito à ordem que o seu titular pode utilizar, sem ficar sujeito ao pagamento de juros ou quaisquer outros encargos, por essa utilização.

SDDS – Special Data Dissemination Standard

Sistema de disponibilização da informação metodológica e estatística dos estados membros subscritores criado em 1996 pelo Fundo Monetário Internacional.

SEBC

Sistema Europeu de Bancos Centrais. Nos termos do nº 1 do artigo 107º do tratado que institui a Comunidade Europeia, o SEBC é composto pelo Banco Central Europeu (BCE) e pelos bancos centrais nacionais dos Estados-Membros da União Europeia (UE). O SEBC inclui, além do Eurosistema, os bancos centrais dos Estados-Membros que ainda não adoptaram o euro.

Sector não Financeiro, excepto Administrações Públicas

Este sector integra as SNF e os Particulares. No sector dos Particulares, por sua vez, são consideradas as Famílias e as Instituições sem Fins Lucrativos ao Serviço das Famílias. O subsector das Famílias compreende os indivíduos ou grupos de indivíduos, quer na sua função de consumidores, quer na sua eventual função de empresários que produzem bens mercantis e serviços financeiros ou não financeiros (produtores mercantis), desde que, neste último caso, as actividades correspondentes não sejam as de entidades distintas tratadas como quase sociedades. Inclui igualmente os indivíduos ou grupos de indivíduos que produzem bens e serviços não financeiros exclusivamente para utilização final própria. No subsector das Instituições Sem Fins Lucrativos ao Serviço das Famílias incluem-se fundações, sindicatos, associações profissionais ou científicas, associações de consumidores, partidos políticos, igrejas ou associações religiosas, clubes e associações de beneficência financiadas principalmente por transferências voluntárias por parte das Famílias.

Securitização

Ver Crédito titularizado.

SEN – Sistema Estatístico Nacional

O SEN compreende o Conselho Superior de Estatística (CSE), órgão do Estado que orienta e coordena o sistema; o Instituto Nacional de Estatística, IP (INE, IP), órgão central de produção e difusão de estatísticas oficiais que assegura a supervisão e coordenação técnico-científica do SEN; o Banco de Portugal no âmbito das suas atribuições de recolha e elaboração de estatísticas monetárias, financeiras, cambiais e da balança de pagamentos; os Serviços Regionais de Estatística das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira que funcionam, em relação às estatísticas oficiais de âmbito nacional, como delegações do INE, IP; e as entidades produtoras de estatísticas oficiais por delegação do INE, IP. Com excepção do CSE, as entidades acima referidas, na qualidade de responsáveis pela produção de estatísticas oficiais, são consideradas autoridades estatísticas, podendo exigir o fornecimento, com carácter obrigatório e gratuito, a todos os serviços ou organismos, pessoas singulares e colectivas, de quaisquer elementos necessários à produção de estatísticas oficiais e estabelecer a recolha de dados que, ainda que não relevantes para a actividade específica das entidades obrigadas ao seu fornecimento, se revistam de importância estatística.

Serviços mínimos bancários

Regime de adesão voluntária por parte das instituições de crédito que promove o acesso a serviços relativos à constituição, manutenção e gestão de conta de depósito à ordem e ainda cartão de débito.

SIBS- Sociedade Interbancária de Serviços, SA.

Empresa que assegura junto dos bancos a prestação de um conjunto de serviços relacionados com a utilização dos cartões bancários. Gere as redes de Caixa Automático Multibanco e de Terminais de Pagamento Automático Multibanco e o serviço TeleMultibanco. Desempenha ainda funções diversas, designadamente no âmbito dos sistemas de pagamentos, nos termos dos contratos de prestação de serviços celebrados com o Banco de Portugal. Para participação em caso de roubo, furto, perda ou falsificação do cartão: tel. 808 201 251 -  808 201 251, se telefonar de Portugal, ou tel. 218 409 042 -  218 409 042, se telefonar do estrangeiro, ou fax 217 813 080.

SICAM -Sistema Integrado do Crédito Agrícola Mútuo

Representa a quase totalidade das Caixas de Crédito Agrícola Mútuo (CCAM) nacionais. Trata-se de um organismo de natureza financeira que engloba as CCAM, bem como, as suas associações regionais e nacionais. Tem por funções a centralização dos excedentes de liquidez e a sua coordenação e gestão de forma a financiar a actividade creditícia das caixas filiadas.

Sistema de cartões de crédito

Entidade que detém a marca de um determinado cartão de crédito, podendo também prestar diversos serviços de marketing, de processamento ou outros aos membros que utilizam os serviços do cartão.

Sistema de compensação

Conjunto de procedimentos através do qual as instituições financeiras participantes no sistema apresentam e trocam dados relativos a transacções, e ao qual está associado um mecanismo para o cálculo dos saldos (bilaterais ou multilaterais) dos participantes com vista a facilitar a liquidação dos respectivos compromissos. Ver compensação.

Sistema de débitos directos (SDD)

Conjunto de regras e infra-estruturas operacionais que permitem pagamentos por débito directo em conta, decorrentes da relação contratual e que envolvem credor, devedor e instituições de crédito respectivas.

Sistema de pagamento

Consiste num conjunto de instrumentos, de procedimentos bancários e, habitualmente, de sistemas interbancários de transferência de fundos destinados a facilitar a circulação monetária.

Sistema de pagamentos de pequeno montante (Retalho)

Sistema de transferência de fundos que processa um número elevado de pagamentos de montantes relativamente reduzidos, representados por cheques, ordens de transferências, débitos directos ou transacções feitas nos caixas automáticos e nos terminais dos pontos de venda.

Sistema multibanco

Conjunto de infra-estruturas que viabiliza a realização de operações, composto por sistemas aplicacionais, de telecomunicações e centros de processamento de dados, bem como outros meios de responsabilidade da SIBS – Sociedade Interbancária de Serviços ou de terceiros, normalmente identificados por «ATM- Automated Teller Machines», «caixas multibanco» e «caixas de pagamentos».

Sistemas de escolha

Equipamento destinado a proceder automaticamente à operação de escolha de notas, funcionando sob o comando de um operador ou de uma equipa de operadores.

Sociedades Corretoras

Sociedades financeiras que compram e vendem títulos na Bolsa em nome dos seus clientes.

Sociedades de Factoring

instituições de crédito que têm por objecto a aquisição de créditos a curto prazo, derivados da venda de produtos ou da prestação de serviços, nos mercados interno e externo.

Sociedades de Locação Financeira

Instituições de crédito que têm por objecto principal o exercício da actividade de locação financeira.

Sociedades Financeiras de Corretagem

Sociedades financeiras que actuam na Bolsa, comprando e vendendo títulos para os seus clientes, tendo também a possibilidade de gerir carteiras próprias de investimentos financeiros.

Spread

Diferença entre os preços de oferta de venda e de compra de um determinado activo ou instrumento. Termo também utilizado para referir o acréscimo (em pontos percentuais) ao indexante, que os bancos exigem quando concedem um financiamento com taxa variável.

Sucursal

Estabelecimento de uma empresa desprovido de personalidade jurídica e que efectue directamente, no todo ou em parte, operações inerentes à actividade da empresa.

Swap de taxa de juro

Acordo entre duas partes de troca de pagamentos de taxa de juro durante um determinado período de tempo. Destina-se a transformar uma exposição a uma taxa de juro fixa na exposição a uma taxa de juro variável, ou vice-versa.

Swaps

Um contrato de swap envolve a troca de cash flows entre os agentes envolvidos, com base nos termos previamente acordados e nos preços de referência dos activos subjacentes.

Fonte: Banco de Portugal